Fotografar o céu sempre foi uma das maiores obsessões dos fotógrafos, desde que as primeiras câmeras foram desenvolvidas. Inúmeras imagens magníficas já foram registradas e com elas vieram grandes descobertas sobre o universo. Conosco também não é diferente. Somos grandes amantes das estrelas e do luar.

Muitas vezes, ficamos por horas contemplando o céu, conversando e apreciando um universo tão pouco conhecido pelos homens.

Uma das vezes que mais nos marcou foi esta noite que passamos no pequeno distrito mineiro de Milho Verde. Localizado às margens da Estrada Real, o pequenino vilarejo guarda incríveis belezas. E, talvez, a maior delas seja o céu que encobre a região. Indescritivelmente, as noites são perfeitas em Milho Verde. Tão belas que, na única noite que passamos no distrito, não resistimos e saímos para fotografar.

Fotografia Noturna 2
O incrível céu de Milho Verde. Antes de fazer a nossa longa exposição, fotografamos na seguinte exposição: ISO 1600, f/2.8, 30,0 seg, 16mm de distância focal. Canon 5D Mark III, objetiva 16-35mm, f/2.8.

O ideal da fotografia noturna é que ela seja pensada e planejada durante o dia, momento no qual o fotógrafo poderá escolher um bom primeiro plano e posicionar corretamente sua câmera. Contudo, como passaríamos somente uma noite no vilarejo, não tínhamos outra alternativa. Ou buscávamos algum ângulo na escuridão, embrenhados no meio do mato, ou perderíamos a oportunidade. Não pensamos duas vezes e nos enfiamos mato adentro.

Mesmo no escuro, encontramos uma posição que nos agradava, uma bela árvore para compor o primeiro plano da foto, e iniciamos a nossa longa exposição. Fizemos as contas e decidimos expor a fotografia por 64 minutos. Ao longo deste tempo, aproveitamos para contemplar o céu a sós e curtir o friozinho da serra mineira.

Fotografia Noturna
ISO 100, f/4.0, 64 min, 16mm de distância focal. Canon 5D Mark III, objetiva 16-35mm, f/2.8.

Para destacar a árvore no primeiro plano, a iluminamos suavemente com uma lanterna, para que pudesse criar uma distinção com o fundo, que estava completamente escuro.

Como tínhamos ativado a função de redução de ruído da câmera, assim que a exposição terminou, a câmera ficou outros 64 minutos processando a foto, até que pudéssemos ver o resultado. A longa exposição gerou o movimento borrado das estrelas, que criou este lindo círculo de luz no céu.

Esta foi a noite em que Milho Verde fez o nosso mundo girar!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here