Os nossos dias pelo Chile chegaram ao fim. A última região que visitamos, no extremo norte do país, deixou em nós profundas marcas de um país encantador e extremamente diversificado de norte a sul.

Era hora de mudar os ares e partir rumo ao quarto país da nossa volta ao mundo de carro: o Peru.

Saímos do Chile sentido ao Peru pela fronteira entre Arica e Tacna, a fronteira mais confusa da viagem até o momento. Uma fila enorme e um calor que andávamos desacostumados, fez as mais de quatro horas por lá parecerem uma eternidade.

Finalmente, depois um martírio e tanto, cruzamos a fronteira e estávamos em um território novo, completamente desconhecido por nós. Logo nos primeiros quilômetros, duas paradas policiais já nos mostravam que poderíamos ter problemas pelo país, já que a polícia por estas bandas não é tão amigável quanto no Chile, Argentina e Uruguai. Felizmente, nestes países, sempre que fomos abordados, a polícia nos tratou muito bem e cumpriu fielmente seu trabalho.

O dia escurecia e o atraso na fronteira nos fez apertar o passo. Estávamos rumo à Arequipa, nosso primeiro destino no Peru. Já era noite quando chegamos à cidade. Contudo, já dávamos conta que estávamos em outro mundo.

O nosso primeiro destino no Peru: a cidade de Arequipa.

Nossos primeiros quilômetros em Arequipa foram em meio à um trânsito absurdo e buzinas tocando por todos os lados. Ah, mas como os peruanos são apaixonados por uma buzina! É impressionante como o trânsito do país é movido pelos ruídos ensurdecedores de uma infinidade de tons diferentes. Tem buzinas agudas, graves e buzinas até com sons de animais, com trechos de músicas e etc. Confessamos que à primeira vista, estávamos completamente perdidos e estressados com as buzinas.

Pensávamos que, a todo tempo, alguém estava buzinando para nós ou nos advertindo de algo. “Mas, porque, não fizemos nada?” E insistíamos em acreditar que as buzinas eram para nós, quando, na verdade, as buzinas são pra todo mundo!

O sinal abre e os carros de trás começam a buzinar freneticamente, antes mesmo que os carros da frente tenham tempo de dar a arrancada em seus veículos. Os taxistas, por outro lado, buzinam a todo tempo, tentando atrair clientes que estão nas calçadas ou simplesmente se comunicando entre si. É uma loucura, só dirigindo um veículo nas conturbadas ruas peruanas para se ter uma ideia.

Por outro lado, há que se ressaltar a incrível cultura peruana. Por qualquer cidadezinha do interior e, especialmente, dos andes que se cruze, é de ficar boquiaberto o quão preservada é a cultura do país, principalmente se tratando de tempos de gigantesca massificação cultural no mundo.

E é isto que nos deixou encantados no Peru, desde os primeiros contatos que tivemos com o país. Sem falar da simpatia de seu povo, muito acolhedor e atencioso para com os visitantes.

Também não poderíamos deixar de citar a comida peruana. Entramos no país e a nossa primeira parada foi em uma das Capitais Mundiais da Gastronomia, como também é conhecida Arequipa. E não é atoa que a cidade é assim chamada. Com uma grande fartura de ingredientes, temperos e aromas, os pratos típicos desta região do Peru são de dar água na boca. Mesmo os mais simples restaurantes e picanterias – que servem a comida tradicional local – são comandados por chefs. Como dizem as nossas avós, o Peru nos conquistou pela boca!

 

E você, já visitou o Peru? Quais foram as suas impressões deste incrível país? Compartilhe conosco a sua história!

8 COMENTÁRIOS

  1. Pois é amigos Sabrina e Henrique. Para chegar ao Perú, optei pelo trajeto mais convencional- Joinville-São Paulo-São Paulo-Lima. A Capital não difere muito de outras grandes capitais da América do Sul. Exceto pela grande quantidade de carros velhos,kkk. Vale ressaltar que ali saboreei o melhor Seviche.
    Mas passei uma roubada, quando resolvi me aventurar de ônibus de Lima até Cusco. São 23 horas de muita subidas e descidas. O ônibus lento vai até quase 5 mil km de altitude por uma boa estrada, mas sinuosa. Depois desse aos 3.5km de Cusco. Sempre achei que Machu Picchu, por ser a última defesa dos Incas, estaria num ponto mais alto, mas aí você desce a 2.7 mil km de altitude. A viagem foi um terror. Fiz essa opção por economia e também porque queria conhecer os lugares e conversar com os nativos que encontraria nas paradas. O ônibus parou somente 02 vezes, onde desceu um índio e subiu outro. A terceira parada, foi forçada por esse viajante, que comeu uma comida estragada, servida pela Rodo moça. Quando as tropas que vêem do bucho, deram o alerta, tentei usar o wc do bus, mas fui alertado pela rodo moça, que o uso era exclusivo para o xixi e para lavar o rosto. Pedi ao motorista para para o ônibus, mas ele disse que naquele local não poderia parar, por conta do risco de assalto. Segundo ele ” Ai Sendero Luminoso acá”. Sendero Luminoso, foi um rupo terrorista, dos tempos da ditadura Peruana. Logo a frente o motorista achou um refúgio. E foi assim que a 4300km, às 02 horas da madrugada, – 02 graus,caguei e me caguei, nos Andes Peruanos. Por falta de papel, deixei lá no alto, uma cueca de lembrança. No retorno ao bus, senti que exalava um fedor peculiar. As sobras do meu desespero tinham respingado na calça de agasalho. O jeito foi deixar mais uma lembrança, embrulhada num pacote de plástico. Esse desarranjo me fez fazer economia forçada. Passei 10 dias na base de suco, frutas e água. Foi ótimo, emagreci 10kg e não senti fome. Quanto às buzinadas, não é privilégio só de Arequipa. Cusco é a campeã até porque 80% da frota, tudo velha, é de taxistas. Mas, justiça seja feita, no meio de toda aquela confusão e buzinadas, não presenciei nenhum acidente. O mais interessante e inusitado é que os taxis, vão pegando e deixando gente pelo caminho. De repente, me deparei com um nativo sentado no meu colo e vamos nessa, pois a conversa ali é Quechua.

  2. Amo essa Nação, mais de 30 carimbadas para o Perú, vão gostar muito, o País mais encantador da AS. Se precisarem de algo avisem, conheço mais que o próprio Brasil.

    • Olá Fred, tudo bem?
      Nossa, quantas viagens para o Peru, amigo!!!
      Realmente, agora, conhecendo melhor o país, entendemos o motivo de você ter visitado o Peru tantas vezes!
      É um país incrível, com uma riqueza cultural inigualável!
      Quaisquer dicas, informações e contatos que puder compartilhar conosco, certamente nos ajudará demais pelo país!
      Obrigado pela companhia, Fred!
      Abraços dos amigos,
      Henrique e Sabrina.

        • Olá Fred, tudo bem?
          Nossas próximas paradas serão as famosas praias no norte do país!
          Quaisquer dicas, contatos e informações serão muito importantes para o nosso planejamento!
          Muito obrigado pela disponibilidade em nos ajudar, Fred!
          Grande abraço dos amigos,
          Henrique e Sabrina.

          • O Norte é bem distinto de tudo que vc viu no Peru ate agora, no Peru temos Selva e Deserto onde vcs ja conheceram, o Norte é tropical, praias de aguas mais clares e quentes, coqueiros e céu azul, o que é raro em outras regiões nesse país, indico Mancora no extremo norte, antes de chegar no Ecuador. Loki Hostel é a melhor opção. Cuidado com as estradas nessa região, principalmente a noite (segurança). Depois de Mancora indico Tumbes. Grande abraço.

          • Muito obrigado novamente pelas preciosas dicas, Fred!
            Já estamos à caminho desta região e vamos seguir os seus conselhos!
            Forte abraço dos amigos,
            Henrique e Sabrina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here