Nossos primeiros dias no Equador estavam sendo perfeitos. Não parávamos de dizer o quanto estávamos felizes de fazer tantas amizades em tão pouco tempo no país, de como estávamos gostando da comida e como era bom pagar menos de um real pelo litro do Diesel.

Outra coisa que notamos logo de cara, foi o desenvolvimento do país em relação ao Peru. Apesar de termos saído encantados do Peru, reconhecemos que o país tem seus problemas, entre eles a quantidade de lixo, a comida pouco confiável e o transito caótico.

Quando vimos que o Equador era um país muito avançado em relação a esses aspectos, acabamos baixando a guarda.

Fomos indicados, por mais de uma pessoa, a visitar uma rua muito charmosa ao lado de um dos rios que corta a cidade de Cuenca, no Sul do Equador.

Estávamos passeando bem tranquilos quando dois rapazes nos encurralaram e pediram uma moeda. Ficamos um pouco assustados e demos as moedas.

Logo depois, um dos meninos começou a pedir para passarmos tudo o que tínhamos, apontando para um volume embaixo de sua camisa.

Passamos alguns dólares (moeda local) e eles não desistiram. Mas, por sorte nossa, um grupo de pessoas entrou na rua e reparou na situação. Os ladrões, então, desistiram de nós.

O prejuízo foi bem pequeno, eles não perceberam que estávamos com nossa câmera na mochila, não levaram nossos documentos, nem muito dinheiro.

Pra falar a verdade, eles pareciam até pouco experientes no assalto.

Fomos embora dali tristes pelo ocorrido, mas sabendo que não deixaríamos esta situação afetar a nossa alegria em viajar por terras equatorianas.

4 COMENTÁRIOS

  1. Olá,
    Henrique Sabrina

    Uma vez em Paris, estava a tentar entrar no metro e não conseguia, mas dois rapazes muito simpáticos ajudaram-me. Um do lado de fora da cancela e o outro do lado de dentro.

    Moral da historia: mais tarde é que percebi, o que estava atras meteu a mão na minha carteira e roubou o porta moedas com 200 francos, isto em 1984.
    Todos temos as nossas desventuras.

    Força nessa caminhada.

    • Olá querida amiga, Lourdes! Tudo bem?
      Infelizmente, estas situações acontecem em todos os cantos do mundo, mas sempre nos deixam importantes lições sobre a segurança em nossas viagens!
      Muito obrigado por ter compartilhado a sua história conosco e pela força e incentivo que sempre envia para nós! =)
      Beijos dos amigos,
      Henrique e Sabrina.

  2. Ah, agora ví a foto do Mochileiro no posto de gasolina equatoriano.
    A barraca não ocupa o teto móvel nem a área dos painéis solares. Ela abre para a frente do veículo?

    • Olá Lourenço, tudo bem?
      É um prazer sempre receber as suas mensagens no Terra Adentro!
      Isto mesmo, amigo! O teto móvel do Mochileiro abre para trás, enquanto a barraca abre para frente. Desta forma, podemos ter, ao mesmo tempo, o teto levantado e a barraca aberta!
      É muito prático quando estamos acampando! =)
      Abraços dos amigos,
      Henrique e Sabrina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here