Porque visitar aquela que já foi a cidade mais violenta do mundo?

Dominada pela famoso Cartel de Drogas de Medellín e comandada, por muitos anos, pelo traficante mais emblemático dos anos 90, Pablo Escobar, Medellín já não é mais a mesma do passado.

A cidade que já deteve o título de mais violenta do mundo, se transformou, modernizou e hoje é considerada uma das cidades modelos da América do Sul.

Medellín mistura cenários naturais, urbanos e culturais.

Ganhadora do título de “Cidade mais Inovadora do Planeta”, entregue em 2013 pelo The Wall Street Journal e pelo Urban Land Institute, Medellín é uma cidade que se desenvolve a cada ano, apagando lentamente as profundas marcas do passado.

Nossa passagem pela cidade tinha um objetivo estratégico: nos organizarmos para receber a família do Henrique, que já se preparava para nos encontrar em Cartagena. Assim, aproveitaríamos a estrutura da cidade para fazer um check-up mecânico no Mochileiro e adiantar o nosso trabalho no site e nas redes sociais.

Contudo, não esperávamos que a cidade fosse nos surpreender tanto.

Fechamos uma parceria fotográfica com um Hotel, o Pátio del Mundo, localizado bem no coração do Bairro El Poblado. A região, onde se localizam os maiores hotéis e restaurantes, é o centro turístico de Medellín. À noite, pessoas do mundo todo se encontram nas ruas repletas de bares e casas de festas. Um programa imperdível para quem se envereda por Medellín.

Já o Centro Histórico da cidade é a verdadeira antítese do El Poblado. Ruas pequenas, buzinas por todos os lados e um verdadeiro mar de gente.

Nosso grande interesse nesta área era o Museu de Antioquia, famoso por abrigar algumas das obras mais relevantes do renomado artista colombiano, Fernando Botero.

E, de fato, o museu é realmente incrível. O acervo de obras modernistas é fantástico e a quantidade de obras fenomenais de Botero é assustadora. Ficamos por horas presos em seus corredores, tentando desvendar um pouco as histórias por trás destas obras icônicas.

Medellín, verdadeiramente, respira arte e cultura. Outra singularidade que nos chamou atenção na cidade foram os artistas de rua. Por todos os cantos que caminhávamos, especialmente no Centro Histórico, cruzávamos por artistas talentosíssimos.

Em um destes dias, tivemos a oportunidade de fotografar um encontro de artistas que ocorria na praça central, em frente ao Museu de Antioquia.

Nunca antes tínhamos presenciado um encontro com tantos artistas de rua, cada qual carregando os sonhos e os talentos nos olhos e no corpo.

Simplesmente indescritível! Também nunca havíamos visto uma manifestação tão alegre e colorida.

 

Confessamos que, durante a nossa volta ao mundo, evitamos ao máximo cruzar por cidades grandes, pois a logística, para quem viaja de carro, é sempre mais difícil. Contudo, é impossível negar que nos impressionamos por Medellín, especialmente sabendo o quanto a cidade mudou (e para melhor!) em tão pouco tempo.

Contudo, não tínhamos tempo a perder. Se aproximava a hora de recebermos a primeira visita de nossa família durante a Volta ao Mundo.

Cartagena, nos espere, pois já estamos à caminho!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here