A famosa Rodovia Pan-americana, que interliga o sul do Chile com o Alaska, o extremo norte do continente americano, apresenta um único gargalo em toda a sua malha rodoviária.

O inexpressivo trecho de 87 quilômetros que separa a Colômbia do Panamá, o chamado Estreito de Darién (em inglês, Darién Gap), é muito mais expressivo do que imaginávamos.

Segundo reza a lenda que contam os colombianos, os Estados Unidos atuou durante muitos e muitos anos, dificultando a construção deste pequeno trecho de estrada, já que a interligação rodoviária das Américas favoreceria o caminho das drogas e das FARC rumo ao norte do continente.

Sendo a lenda verídica ou não, o gargalo permanece e a previsão para a construção de uma estrada no Estreito de Darién nem sequer vem sendo cogitada.

Por conta desta falha na rodovia Pan-americana, a única alternativa para se cruzar da América do Sul para a América Central é por meio de um navio.

Desta forma, a melhor cidade para despachar um carro rumo ao Panamá (o primeiro país da América Central) é a colombiana Cartagena das Índias.

Cerca de um mês antes de chegarmos à cidade, já mantínhamos contato com uma empresa que havia sido bem recomendada por outros amigos viajantes: a Enlace Caribe.

Do Porto de Cartagena, partem os navios de carga para o Panamá.

 

Por coincidência, acabamos conhecendo um casal de viajantes alemães que também planejavam embarcar o carro rumo ao Panamá. A ideia era dividir um contêiner de 40 pés com eles e reduzir quase pela metade os custos da travessia. Contudo, um problema repentino no motor da Defender deles, os fez parar por quase um mês em Bogotá.

Como estávamos com os dias contados e não poderíamos atrasar o envio do carro, os Alemães nos indicaram um americano, que viajava sozinho em uma Defender 110, e também estava interessado em despachar o carro o quanto antes.

Fizemos contato com o Randall, o americano e, felizmente, nossas datas casavam perfeitamente. Fechamos os detalhes com ele e partimos rumo à Cartagena.

A maneira mais econômica de enviar o carro é dividindo um contêiner de 40 pés com outro carro.

 

Todo o trâmite de despacho do carro pode ser feito por conta própria, o que ajuda a reduzir bem os custos de envio. Contudo, sabemos que a burocracia é monstruosa e queríamos evitar estas dores de cabeça de qualquer forma. Se você optar por fazer sozinho, contacte a empresa Seaboard Marine.

Fechamos a intermediação do processo com a Enlace Caribe, assinamos o contrato e estávamos à espera do dia correto para embarcar o carro.

O custo total do contêiner de 40 pés foi de USD 2.200, que dividido por dois gerou um montante de USD 1.100 por cada carro. Contudo, além deste valor, que pagamos à Enlace Caribe, um outro montante deveria ser pago no Panamá, no momento da retirada dos carros do contêiner.

 

Para que a Enlace Caribe organizasse todos os trâmites, eles nos pediram os seguintes documentos:

  • Passaporte do proprietário do veículo, com o devido carimbo de entrada na Colômbia;
  • Documento do carro (CRLV);
  • Comprovante de entrada do carro no país (chamado também de documento de importação temporária);
  • Carteira de Motorista (de preferência, a PID);

Antes do despacho do carro, estivemos no escritório da empresa e, menos de uma hora depois, já estávamos liberados. Passamos no cartório, na companhia de uma funcionária da agência, autenticamos alguns documentos e pronto, tudo estava organizado.

O dia de despacho do carro estava marcado para uma semana depois, pela manhã. Chegado o dia, nos dirigimos, com o Mochileiro, para o escritório da Enlace Caribe. Logo depois, o Randall, o nosso amigo americano e companheiro de contêiner, também chegou com sua Defender 110, ano 2016.

Não sabíamos que, neste exato dia, mais dois brasileiros, o Breno Galvão e o Marcelo, também embarcariam os seus carros rumo ao Panamá, dividindo um contêiner de 40 pés. Foram memoráveis os momentos que passamos juntos e as histórias que pudemos compartilhar este dia.

Os amigos brasileiros (à esquerda, Breno Galvão, à direita, Marcelo) que também embarcaram os carros rumo ao Panamá. Ao fundo, segurando a trena, o americano Randall, que dividiu o contêiner conosco.

 

Do escritório da empresa, os quatro carros seguiram rumo ao porto. Na entrada, apresentamos os documentos e nos mostraram onde estavam os contêineres a nossa espera.

Esta, possivelmente, é a etapa mais trabalhosa e cansativa do processo de embarque do carro.

Passamos quase três horas à espera da polícia antinarcóticos, que deveria realizar as vistorias nos carros. Antes dos policiais chegarem, o responsável pelo embarque nos pediu para retirar tudo que estava dentro dos carros e colocar sobre os suportes de madeira que estavam no pátio.

Esta etapa é uma verdadeira confusão. Arrancamos quase tudo que estava dentro do Mochileiro, contudo, quando os policiais chegaram e começaram a vistoria, eles terminaram de jogar pelos ares tudo que permanecia nos armários.

Tirando tudo de dentro do carro para a inspeção da polícia.

 

Ao final dos quase 15 minutos de fiscalização, restou uma bagunça que não víamos desde os tempos que arrumávamos o carro para a partida da volta ao mundo. O calor insuportável dificultou a reorganização do Mochileiro e embarcamos com a bagunça espalhada por todos os cantos.

Liberada a entrada, seguimos primeiro com o Mochileiro, que passou com certa folga pelos 2,58 metros de altura da porta do contêiner de 40 pés.

O carro foi amarrado com diversas cordas e logo seguiu o nosso amigo Randall. Os dois carros no contêiner, amarrados, era hora de fechar a porta e inserir o lacre de segurança que havíamos recebido da Enlace Caribe.

Mais de cinco horas depois, trabalho concluído. O Mochileiro estava pronto para seguir rumo ao Panamá e nós, órfãos de nosso fiel amigo, seguiríamos de avião. Nos vemos no Panamá, Mochileiro!

Dicas para quem vai embarcar o carro em Cartagena rumo ao Panamá:

  • Clique aqui e leia sobre a etapa de receber o carro no Panamá.
  • Comece os contatos com as agências com certa antecedência, algo como 1 a 2 meses antes de chegar em Cartagena.
  • As próprias empresas costumam indicar viajantes para dividir um contêiner de 40 pés.
  • Uma outra opção, é buscar parceiros para dividir o contêiner no grupo Panamericana, no Facebook.
  • Antes de definir qual contêiner irá embarcar o seu carro, fique atento quanto à altura da porta de cada contêiner. O contêiner de 20 pés tem uma altura da porta de 2,28 metros, enquanto o de 40 pés tem 2,58 metros de altura.
  • Se você está despachando o seu carro de contêiner, não se esqueça de tirar fotos, registrar a entrada do carro e, ao final, tirar fotos nítidas do número de série do lacre de segurança.
  • Caso o seu carro (ou van/ônibus/caminhão) seja maior que 2,58 metros de altura, a melhor opção será despachar por Ro-Ro, que é a modalidade em que o carro é transportado no pátio do navio.
  • A grande desvantagem desta modalidade, é que você precisa deixar a chave do seu carro em poder da empresa transportadora, o que aumenta muito a possibilidade de furtos de objetos no interior do carro. Neste caso, leve tudo o que você tem de valor e não deixe nada à vista.
  • A cidade em que chegam os navios é Colón, no Panamá.
  • Além do custo de envio em Cartagena, existe também um custo para retirada do carro no Panamá, que é bem menor.
  • Para realizar todos estes trâmites, o ideal é chegar em Cartagena com, pelo menos, uns 10 dias de antecedência do embarque.
  • O carro é colocado dentro do contêiner a cerca de 3 dias antes da partida do navio.
  • Contando a partir do momento em que o carro é colocado dentro do contêiner, cerca de 7 dias depois você poderá buscar o seu carro em Colón.
  • Se você dividir o contêiner com mais um viajante, não se esqueça que o mesmo somente poderá ser aberto na presença dos dois proprietários.
  • Até 7 dias após o desembarque do contêiner, você não pagará custos adicionais de manutenção ao porto Panamenho. Após este prazo, uma diária, em dólar, começará a ser cobrada.

13 COMENTÁRIOS

  1. Quantas aventuras, querido s sobrinhos! O mais importante de tudo isso são essas tanta pessoas cruzarao por vcs! Sejam felizes!

    • Oi Tia Kakau, tudo bem?
      Saudades de todos vocês! =)
      Seguimos sempre em frente, buscando viver a vida da forma mais intensa possível, sendo feliz em cada pequeno momento desta longa jornada! =)
      Muito obrigado por tudo que vocês representam e são pra nós!
      Beijos dos sobrinhos,
      Henrique e Sabrina.

    • Olá amigo, Francisco Piazenski, tudo bem?
      Que imenso prazer e alegria receber a sua mensagem no Terra Adentro! =)
      Realmente, o precinho é muito salgado, principalmente se analisarmos que o navio realiza a travessia em apenas 2 dias!
      Mas, infelizmente, enquanto o ferry boat não retornar, acredito que a situação permanecerá da mesma forma, com certo monopólio e preços bem altos!
      A grande expectativa para o futuro é que alguma estrada seja construída e interligue de vez as Américas! =)
      Muito obrigado pela companhia sempre, amigos do Expanda Fronteiras!
      Grande abraço,
      Henrique e Sabrina.

  2. Fizemos essa travessia também.. Só quem foi nosso agente foi o Sr Manfred.. E foi muito rápido e tranquilo fizemos junto com um Canadense Sr Yan e gastamos a mesma coisa só que eu estava com uma Sprinter em Yan com uma Toyota camper. Viagem perfeita

    • Olá Nelson Paixão, tudo bem?
      Ficamos muito felizes em receber a sua mensagem no Terra Adentro! =)
      E que baita viagem vocês fizeram, pois estes caminhos da América do Sul e América Central são espetaculares!
      Muito obrigado por compartilhar sua história conosco! =)
      Abraços dos amigos,
      Henrique e Sabrina.

  3. Parabéns Terra Adentro. Venho acompanhando sua viagem pois pretendo realizar esta viagem em 2018.
    Vc tem noção do preço de um RoRo para uma Van? Que Deus lhes acompanhe nesta aventura!

    • Olá Carlos Roberto Graciano, tudo bem?
      Que legal que você está planejando uma longa expedição de carro para 2018.
      Então, não chegamos a cotar o RoRo para esta travessia, mas acredito que gastará algo como USD 1.800,00 a USD 1.900,00, contando todas as despesas da travessia, tanto em Cartagena quanto no Panamá.
      Qualquer dúvida pode contar sempre conosco, Carlos Roberto! =)
      Abraços dos amigos,
      Henrique e Sabrina.

  4. Oi Casal,

    muito bom o artigo sobre a travessia de Cartagena para Colon, parabens. Estou particularmente preocupado com esse trecho, mas acho que com suas dicas tudo vai ficar mais simples quando for minha vez em 2018!
    Ansioso para ver os post da America Central…

    Abraço,

    Luca

    • Olá Luca, tudo bem?
      Ficamos muito felizes em saber que este post, contando um pouco sobre a nossa experiência da travessia marítima da América do Sul para a América Central, irá ajudá-lo em seu planejamento para 2018.
      O que pudermos contribuir, saiba que sempre poderá contar com nosso apoio e colaboração!
      Rumo à América Central! =)
      Abraços dos amigos,
      Henrique e Sabrina.

  5. Este foi o melhor e mais detalhado post que já vi sobre o envio do carro para a América Central. Parabéns pelos ricos detalhes e uma excelente viagem ao novo continente.

    • Olá Rafael, tudo bem?
      Ficamos extremamente felizes em receber a sua mensagem no Terra Adentro! =)
      Muito obrigado por estar sempre em nossa companhia nesta longa jornada pelo mundo!
      Conte sempre com nosso apoio e colaboração!
      Abraços dos amigos,
      Henrique e Sabrina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here