Depois de tantos meses visitando cidades incas, maias e de diversos outros povos que habitavam as Américas antes da chegada dos espanhóis, nos sentimos como verdadeiros “caçadores de ruínas”.

À medida que fomos conhecendo os segredos de cada um desses povos, fomos nos surpreendendo pelos seus conhecimentos avançados em diversas áreas, como a matemática, astronomia, engenharia e medicina.

E ansiosos para explorar novas ruínas, chegamos ao México para conhecer Chichén Itzá, a construção maia mais famosa e visitada do mundo.

Entramos no país pela região de Quintana Roo e as ruínas que visitamos em frente ao mar turquesa de Tulum já nos deram algumas pistas de como seriam grandiosas as construções Maias no país.

E assim pudemos comprovar quando conhecemos a cidade pré-hispânica de Chichén Itzá, que é considerada um centro sagrado para a civilização Maia e uma referência cultural para os mexicanos.

A cidade de Chichén Itzá, considerada uma das sete maravilhas do mundo moderno.

Chegamos em Chichén Itzá em pleno começo de tarde, com um sol escaldante e um calor digno do verão mexicano. Já na entrada pudemos perceber a quantidade de turistas que a cidade Maia recebe. Paramos o Mochileiro no estacionamento, preparamos um lanchinho e bastante água para levar, passamos protetor solar e tiramos os nossos chapéus do fundo do armário.

Assim que passamos a portaria principal, já nos surpreendemos pela imensidão da cidade e pela grandiosidade da Pirâmide de Kukulkan.

A Pirâmide de Kukulkan, uma das obras-primas dos Maias.

Este templo é a principal ruína da cidade de Chichén Itzá. Para ser construída, esta pirâmide exigiu conhecimentos avançados de matemática, astronomia, geometria e acústica.

As quatro faces da pirâmide são perfeitamente simétricas e representam o calendário Maia: 18 seções (o número de meses, de 20 dias cada um) e 365 degraus, representando os dias do ano.

Além desta pirâmide principal, nesta área que ocupava a antiga cidade de Chichén Itzá também se conservaram construções incríveis da época de esplendor dos Maias.

Uma das muitas construções de Chichén Itzá.

Pudemos visitar o Templo dos guerreiros, que foi construído com o impressionante número de mil colunas, o observatório astronômico e uma quadra do típico jogo de bola maia.

Sem dúvida alguma, uma das ruínas mais impressionantes das Américas e digna de ser escolhida como uma das sete maravilhas do mundo moderno.

2 COMENTÁRIOS

    • Olá querida amiga, Lourdes, tudo bem?
      Ficamos muito felizes que tenha se apaixonado por Chichén Itzá também!
      E realmente, são tantas visitas históricas que, aos poucos, vamos conhecendo a cultura e os hábitos de povos tão interessantes e misteriosos, como os Maias! 🙂
      Vamos em frente!
      Abraços dos amigos,
      Henrique e Sabrina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here