O Parque Nacional mais antigo do mundo também é, sem sombra de dúvidas, um dos mais bonitos da Terra. Localizado nos estados americanos do Wyoming, Idaho e Montana, o Yellowstone National Park se destaca por sua rica vida selvagem, seus gêiseres e inúmeras fontes hidrotermais.

Visitar o parque é se impressionar, a cada trilha, com as paisagens surreais que a natureza nos proporciona.

Antes de chegar lá, tivemos uma surpresa e tanto ao conhecer o Parque Grand Teton. E assim, estávamos cheios de expectativas para explorar o velho Yellowstone.

Já era setembro quando cruzamos, de Sul à Norte, o Yellowstone. Já tínhamos sido alertados que, no verão, milhares de turistas invadem o parque, tirando um pouco o brilho das paisagens naturais e causando, até mesmo, engarrafamentos nas estradas da área.

Como já chegava o fim da estação, demos sorte e encontramos o parque menos cheio. Mas, mesmo sim, podemos dizer que ficamos impressionados com o movimento de pessoas.

Turistas observando o Gêiser Old Faithful.

Imersos nas paisagens surreais que se formaram nesta região vulcânica, muitas vezes ficávamos boquiabertos com os cenários que parávamos para contemplar. Mas, logo esta perplexidade ia embora, distraída por um grupo de turistas que passava gritando ao nosso lado.

Nós gostamos, sim, de saber que as pessoas cada vez mais saem de casa em busca de paisagens naturais, promovendo um turismo mais ecológico e sustentável. Mas, ao mesmo tempo, é bem frustrante estar diante da grandiosidade de uma natureza fantástica e, de fato, não se sentir parte dela.

Em poucos lugares do Yellowstone, nos sentimos em contato com a natureza.

Os primeiros quilômetros do parque começaram assim, com esta frustração, pois fomos logo conhecer um dos destinos mais visitados do Yellowstone e um dos Gêiseres mais famosos do mundo.

O Old Faithful, que foi o primeiro gêiser a ser batizado dentro do parque, expele água fervente a uma altura de até 55 metros, transformando este momento em um verdadeiro evento dentro do Yellowstone.

Evento porque milhares de pessoas sentaram ao redor do gêiser aguardando a sua explosão de águas. E quando acontecia, todos aplaudiam e gritavam, como no show do Bellagio em Las Vegas!

Do Old Faithful, seguimos para conhecer as famosas fontes hidrotermais. E mais uma vez, uma fila de pessoas caminhando nas passarelas para visitar esses incríveis lagos de águas vulcânicas.

Foi quando nós descobrimos uma trilha, com pouquíssimo movimento. Era pra lá mesmo que seguiríamos e as coisas começariam a melhorar!

Fontes Hidrotermais do Parque Yellowstone.

Ao longo de nossa viagem pelo mundo, sempre somos surpreendidos por paisagens naturais que nunca antes em nossas vidas havíamos presenciado. Quando menos esperamos, pegamos um caminho alternativo que nos leva a um lugar surpreendente.

E esta trilha seguiu justamente para um dos cenários mais lindos que visitamos na viagem.

Era o Grand Prismatic Spring, uma fonte hidrotermal simplesmente indescritível, com cores que vão do azul ao amarelo, passando por diversos tons de laranja.

Estas intensas cores são explicadas pela grande concentração de bactérias termofílicas nas bordas da fonte, que contém largas quantidades de água fervente.

Enquanto víamos os turistas passeando lá embaixo nas passarelas, pudemos contemplar de cima a magnitude do Grand Prismatic.

Foi uma grande lição para nós: algumas vezes, se mudamos um pouco a perspectiva, se damos um passo para o lado ou olhamos na direção oposta, podemos enxergar novos e impressionantes caminhos.

Um privilégio observar o Grand Prismatic Spring do alto.

E assim seguimos contentes para o norte do Parque, empolgados pela descoberta e pelo privilégio de ter conhecido o Grand Prismatic de cima.

Já nos primeiros quilômetros da estrada que seguia para o norte, percebemos que o movimento de carros ia diminuindo.

E, mais uma vez, seríamos surpreendidos por regiões menos visitadas do parque. À medida que nos aproximávamos da pequena vila de Mammoth Hot Springs, a fumaça das queimadas na região ia tomando conta do céu.

Mas nada que atrapalhasse o espetáculo que estaríamos prestes a presenciar. Da estrada mesmo, já avistamos uma fonte de águas termais formando uma cachoeira. Nela, a cada degrau que a água escorre, bastante fumaça é liberada por conta de sua alta temperatura.

Foi difícil acreditar na paisagem que estava ali, diante dos nossos olhos. Nesse momento nos sentimos em outro planeta, transportados para longe de tudo e de todos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here