Enquanto o Mochileiro estava na oficina mecânica em Lüneburg, decidimos conhecer o norte da Alemanha com o melhor meio de transporte para viajar pelas cidades europeias: o trem.

Estávamos hospedados na casa da nossa amiga Monique e, com ela, saímos da estação de trem de Lüneburg, para duas horas depois, chegarmos à capital alemã.

Viajar de trem pela Europa foi uma experiência que não pudemos deixar de viver.

Desde que assistimos, muitos anos atrás, o clássico filme “Antes do Amanhecer”, fazer uma viagem de trem pelo Velho Continente entrou em nossa lista de desejos.

E realmente é muito legal, principalmente na Alemanha, cuja maioria das cidades são acessíveis por trem. Chegamos em Berlim com a tarefa de conhecer a cidade em apenas um dia, já que a nossa passagem de volta já estava comprada. Nossa primeira parada foi o histórico Muro de Berlim.

Muro de Berlim. Foto realizada com a técnica de Puxada de Zoom, que confere este este efeito dinâmico e veloz à imagem.

 

Os poucos quilômetros de muro que se mantiveram em pé guardam uma extensão incalculável de memórias de um dos capítulos mais importantes da História da Alemanha.

O Muro de Berlim foi construído em agosto de 1961 pela socialista Alemanha Oriental, também chamada de República Democrática Alemã (RDA), separando-a da capitalista Alemanha Ocidental.

Não somente a capital do país foi dividida ao meio. O muro simbolizou a separação do mundo em duas partes, durante a Guerra Fria: países capitalistas e países socialistas. Ao todo, o muro era constituído de 66,5 km de gradeamento metálico, 302 torres de observação, 127 redes metálicas electrificadas com alarme e 255 pistas de corrida para ferozes cães de guarda.

Em frente ao Muro de Berlim, presenciando um dos capítulos mais importantes da História Moderna.

 

Ao redor das ruínas que restaram após a queda do Muro, em 1989, encontram-se alemães vestidos com fardas da RDA, contando curiosidades sobre a Alemanha Oriental e vendendo souvenires muito interessantes, como pedaços originais do muro e carimbos da RDA no passaporte. 

Dali, seguimos para o Centro da capital, para conhecermos o famoso Portão de Brandemburgo. Da estação de trem, fomos caminhando bem devagar até esta famosa construção, observando a arquitetura da cidade.

Ficamos simplesmente encantados com a avenida principal de Berlim, a Unter den Linden. A arquitetura e a conservação dos edifícios e monumentos a tornam, sem sobra de dúvidas, um dos lugares mais lindos da Europa.

Mas não foi somente o viés histórico e arquitetônico da cidade que nos fascinou. A vida de Berlim, com seus moradores e turistas, era deliciosa de observar. 

Por coincidência, no mesmo dia em que estivemos na capital, estavam também milhares de torcedores do time de futebol Eintracht Frankfurt, que vieram de longe para assistir a final histórica do seu time de coração, contra o gigantesco Bayern de Munique.

Inúmeros torcedores espalhados por todos os lados da cidade, praças, rios, monumentos, estações e vagões de trem. Todos se concentrando para o jogo, ao som do vibrante hino da equipe de Frankfurt.

A este mesmo som também nos despedimos da incrível e, para nós, uma das mais belas capitais da Europa. Pegamos o nosso trem e, quando chegamos novamente em Lüneburg, assistimos à partida final da Copa da Alemanha de 2018.

Contrariando todas as expectativas e previsões, o Eintracht Frankfurt foi campeão naquele dia. A data mais empolgante do ano para os torcedores do time e um dia inesquecível para nós.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here