A neve passou a ser uma companheira frequente nas estradas e nos acampamentos pelo Canadá, o que nos fez apertar ainda mais o passo rumo ao sul do país, em direção às montanhas rochosas.

Assim que cruzamos a placa que indicava a entrada do Jasper National Park, logo fomos desacelerando o carro e dirigindo lentamente, contemplando as paisagens monumentais que a natureza deste lugar esculpiu por milhões de anos.

Tivemos a grata surpresa de um dia ensolarado, um privilégio naquela estação, em que vínhamos enfrentando muita nebulosidade e neve.

Em poucos lugares que visitamos na viagem, tivemos tanta sorte ao fotografar quanto no Jasper. Cada lago, rio ou montanha que parávamos para registrar, nos dava a sensação que chegamos no lugar certo, exatamente na hora certa. A luz estava sempre na direção perfeita e suavemente iluminava as paisagens. A fauna estava agitada, como se os animais aproveitassem os últimos dias do verão.

Um dia perfeito no Jasper: a luz ideal e o reflexo intocável, em um dos lagos mais desconhecidos do parque. Foi uma verdadeira aventura sair de lá com esta imagem registrada por nossa câmera.

Assim aconteceu no Rio Athabasca, onde recebemos as boas-vindas no parque em um dos cenários mais clássicos do hemisfério norte: o rio que escorre da cadeia de montanhas nevadas. Mais à frente, encontraríamos com inúmeras cabras selvagens, entre elas a rara big horn, que se alimentava tranquilamente na beira da estrada e graciosamente pousou para as nossas lentes.

A estrada, os picos nevados, o lago e a cabra big horn. Uma das imagens mais simbólicas do Jasper National Park.

Durante aquela noite, uma nevasca cobriu os cumes das montanhas ao redor do nosso acampamento. Quando acordamos, o Mochileiro custou para funcionar. Tivemos até mesmo que espirrar um vidro de éter no motor. Estratégia que aprendemos com o nosso amigo Bill, de Salt Lake City, e viria a nos salvar diversas vezes no inverno nortenho.

Com o carro funcionando novamente, cruzamos a sinuosa estrada que nos levaria ao Medicine Lake e Maligne Lake. Mesmo com o sol forte, a temperatura estava negativa e era impossível ficarmos parados, ainda que por poucos minutos, nas sombras dos pinheiros que circundavam os lagos.

Medicine Lake, um dos lagos mais cênicos do Jasper.

Durante as noites, acampávamos ao lado das imensas montanhas rochosas. Era difícil pegar no sono, pois as incontáveis estrelas nos distraíam na janela de nossa barraca, enquanto nos escondíamos do frio dentro de nossos sacos de dormir.

Uma das noites que, distraídos pelas estradas, saímos para fotografar.

Após a temporada de dias ensolarados no Jasper, adentramos os limites territoriais do seu vizinho, o parque Banff, debaixo de uma forte nevasca.

Enquanto nos aproximávamos do Lake Louise, vestidos da cabeça aos pés com quase todas as roupas de nosso pequeno armário, os flocos de neve cobriam os nossos casacos e forravam as margens do lago com um intenso tapete branco.

O cenário que encontramos quando chegamos no Lake Louise, debaixo de muita neve.

Somente mais um corajoso fotógrafo, com o tripé e câmera posicionados, nos fazia companhia naquele entardecer.

Caminhamos por horas na beira lago, passando por entre florestas de pinheiros, até que as nossas mãos e pés congelaram. Tratamos, assim, de retornar para o Mochileiro e encontrar um bom lugar para montar o nosso acampamento.

Os dias se passaram, entre lindos amanheceres, nevascas e lua cheia no horizonte.

Em alguns destes dias, o Emerald Lake foi o nosso quintal pelo mundo. A cada nascer do sol ou entardecer, a magia da natureza estava bem ali, em frente à nossa porta e pronta para ser contemplada e registrada.

Quando não estávamos fotografando os reflexos perfeitos na beira de um lago, caminhávamos pelas ruas da charmosa cidadezinha de Banff, de construções de madeira, erguidas bem ao lado de uma gigantesca montanha nevada.

2 COMMENTS

  1. Grandes e já famosos mochileiros Henrique e Sabrina, a cada passo que dão e em cada foto que enviam , fico mais e mais surpreendida.
    Ui….que medo passar a noite em sítios como os mostrais.
    Boa continuação de aventura.
    Bjinhos grandes

    • Cada dia estamos mais apaixonados pelas belezas das Américas, querida amiga Lourdes!! 🙂
      Que venham as próximas aventuras, recheadas de momentos inesquecíveis! <3
      Um grande abraço dos amigos,
      Henrique e Sabrina.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here