Após os nossos primeiros dias na região de Reykjavik, chegava a hora de seguirmos rumo ao destino mais esperado da Islândia, o litoral sul do país.

Pôr do sol na praia de Kirkjufjara, no sul da Islândia.

Após uma noite de intensa ventania, o dia amanheceu ensolarado e com poucas nuvens, um bom sinal de que um belo entardecer nos esperava. Afinal, nem sempre é possível encontrar lindos dias de sol na Islândia, mas, quando eles aparecem, transformam as paisagens do país em verdadeiras obras-primas da natureza.

Paisagens inacreditáveis

A costa sul da Islândia é daqueles lugares que impressiona qualquer viajante. Em poucos quilômetros, cruzamos estradas ao lado de glaciares, cachoeiras, campos de musgos, praias, lagos e noites de Aurora Boreal. Se existe uma palavra que define perfeitamente a Islândia é diversidade. Diversidade de paisagens, de clima, de emoções.

Por lá, os nossos dias são sempre uma surpresa. Começamos a manhã em uma casinha embaixo de uma montanha nevada, pegamos o carro e, alguns quilômetros depois, estamos no meio de uma tempestade de neve. Nos minutos seguintes, a paisagem se transforma completamente e o sol ilumina os lindos cenários islandeses.

Cenários da Islândia.

Os fins de tarde na Islândia são mágicos, um caso à parte. O sol se pondo no mar, o céu colorido, as montanhas nevadas iluminadas, uma névoa na areia negra da praia e os lagos criando um reflexo perfeito de todo esta paisagem. Impressionante como a luz do sol se pondo no mar cria um ambiente tão paradisíaco e colorido, pintando o oceano com um azul peculiar.

Fim de tarde cinematográfico na costa sul da Islândia.

Em nossa primeira noite no litoral sul, partimos em busca de um reencontro com as mágicas Luzes do Norte. Pegamos todos os nossos casacos, o tripé, a câmera e fomos à procura de um cenário ideal para fotografá-la.

As luzes do norte pintando o céu sobre a Cachoeira Skógafoss.

Mal tivemos tempo de sair do carro e montar os equipamentos e Aurora Boreal apareceu majestosa, dançando sobre as nossas cabeças.

Foi de arrepiar. Apesar de já termos contemplado a Aurora Boreal no Alasca, rimos e choramos feito crianças. Ver esse fascinante fenômeno da natureza é tão emocionante, que o coração dispara de tamanha felicidade. O frio intenso da noite não nos incomoda. Não há nada que nos faça tirar os olhos dela.

Por horas, ficamos ali parados, perplexos, olhando para cima. Só nós dois, a estrada e as magníficas luzes nortenhas.

Na manhã seguinte, seguimos a estrada pela costa sul, em direção à Lagoa de Jökulsarlón e, mais uma vez, a Islândia seguiu nos surpreendendo. Seja pelas cachoeiras de Seljalandsfoss, Skógafoss e por dezenas outras, ou até mesmo pelas praias de Kirkjufjara, Dyrhólaey e Reynisfjara era impossível conter o espanto com tamanhas paisagens cênicas e surrealistas.

Entardecer na praia de Kirkjufjara

Caminhar sobre a praia de Reynisfjara era como se sentir parte de um filme épico, dados os cenários dramáticos perante aos nossos olhos.

Os cenários épicos da Islândia. Praia de Reynisfjara.

Parávamos a cada quilômetro para contemplar as paisagens, até que percebemos que alguns reflexos ofuscavam a nossa visão. Nos aproximamos deste misterioso lugar e logo nos demos conta de que estávamos na Diamond Beach, ou Praia dos Diamantes.

Pequenos blocos de gelo na Diamond Beach

Ela é assim chamada por conta dos milhares de pequenos blocos de gelo que existem na areia. Menos de um quilômetro desta praia está a Lagoa Glacial Jökulsárlón e um enorme glaciar. A água gelada da lagoa deságua no mar e leva consigo estes pequenos blocos de gelo, ou diamantes.

Quando os feixes da luz do sol se pondo atingem os pequenos pedaços de gelo, a praia inteira se ilumina. Coisas da Islândia!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here